Início » Blog » Blog

Categoria: Blog

Felipe de Brito Lima

Professor aponta caminhos para produção de conteúdos educativos e criativos

Dando sequência ao seu ciclo de formações o Prof-Lab, programa de formações criativas para professores, realiza neste sábado, 27 de maio, o curso livre de Produção Criativa com TICs. Guiada pelo educador Felipe de Brito Lima, a atividade acontece das 8h às 12h30 na ABA Global Education em Boa Viagem, no Recife.

Quantas vezes estudantes e professores se deparam com o bloqueio criativo em frente ao software de edição de textos? A tela em branco é por vezes assustadora não só para quem precisa produzir textos, mas também outros conteúdos digitais como vídeos, gráficos, desenhos ou áudios.

Antes de dominar aplicativos e ferramentas é importante estar atento às estratégias de produção de conteúdos para o ambiente digital. O primeiro passo para avançar na produção desses conteúdos é perceber que a criatividade não é um dom, mas sim uma habilidade que precisa ser estimulada constantemente. Entre as estratégias para estimular a criatividade estão as práticas de Design Thinking que trabalham com geração de ideias para resolução de problemas. Esses movimentos são responsáveis por engajar e estimular a imaginação dos aprendizes. Outro ponto importante é observar a multiplicidade de discursos e linguagens presentes em sala de aula e tentar explorá-los como fontes de inspiração.

Para aprimorar seu papel como educador Felipe de Brito Lima decidiu ingressar no doutorado em Design da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) onde estuda artefatos digitais aplicados ao ensino de ciências. Investiu também nos estudos sobre cultura pop e na produção de diferentes tipos de conteúdo digital. Assim percebeu como eles são capazes de transformar as experiências de aprendizagem dos seus alunos. É essa aprendizagem que Felipe vai compartilhar com os professores durante a formação Produção criativa com TICs.

Produção Criativa com TICs

​Para participar do Prof-Lab não existem pré-requisitos, além da vontade de aprender e inovar. Serão apresentados conceitos de forma simples e objetiva, com atividades planejadas para que todos possam dar os primeiros passos no tema proposto. A iniciativa já formou mais de 500 docentes de diferentes cidades e áreas de atuação em quatro edições realizadas na ABA Global Education.

As inscrições para a formação Produção criativa com TICs podem ser realizadas até o dia 26 de maio através do link: http://bit.ly/proflabpct. Há desconto de 50% para professores das redes estaduais e municipais, além de opções de parcelamento e condições especiais para inscrições em grupo e ex-alunos do programa.

Computação Criativa no Prof-Lab

Computação criativa: sobre o que esse curso não é

Oi gente! Enfim, passei por aqui pra dar um oi.

Eu sou a Tanci e vou te acompanhar na formação sobre Computação Criativa. Talvez você tenha lido sobre mim na página do curso e por isso vou me permitir pular essa parte de apresentações, tá? Deixa eu te contar uma coisa para você… No fundo, no fundo, esse é um curso sobre ‘pensamento computacional’.

Mantenha a calma! Lembro bem do primeiro artigo científico que li a respeito desse assunto [1] e da sensação que senti. Quando li o termo pela primeira vez, confesso que não sabia direito lidar com aquilo. Era tudo muito novo para mim. Procurei o aclamado artigo científico que deu origem a todo aquele burburinho [2] e para minha surpresa, fiquei ainda mais confusa (pode rir de mim sem medo agora!).

Levou um tempo para a comunidade científica amadurecer o conceito e oferecer definições e aplicações menos utópicas e mais próximas do cotidiano. Por muito tempo, lembro de ter ficado na dúvida: o que será que isso quer dizer? Será que significa pensar como um computador? Voltaremos a isso mais à frente.

Por falar em termos esquisitos, suponho que você possa ter se perguntado o que exatamente quer dizer ‘Computação Criativa’, especialmente agora que eu embaralhei tudo e disse que era um curso sobre ‘pensamento computacional’. Se você está com o ‘pernambuquês’ em dia deve ter pensado: que diacho é isso?

Quando criamos o curso, o mais difícil – com certeza – foi escolher um nome pra ele. Como é que a gente diria que é um curso sobre Ciência da Computação, mas que não é algo tão, tão difícil a ponto de tu achar que só poderia entender se fosse um engenheiro de software ou cientista de dados? Como te contar que é sobre um jeito diferente de olhar para a Computação? D-I-F-Í-C-I-L.

Computação Criativa no Prof-Lab

A gente achou que chamar de Computação Criativa resolveria. No ruim, no ruim, restando dúvidas, inserimos um ‘para Educadores’ para ficar a certeza de que é um curso que cabe na tua vida e na tua cachola. Então, agora que tá claro que não é nenhum pandemônio, eu acho justo, digno e necessário te contar sobre o que é o curso no fim das contas.

O curso é sobre entender o que é o pensamento computacional e, voltando àquela nossa conversa sobre o termo esquisito, o primeiro passo é compreender bem o que ele não é. Como a Jeannette Wing disse, o pensamento computacional não é sobre pensar como computadores, mas sim como usá-los de maneira criativa e inteligente para resolver problemas do nosso dia a dia [2]. O mais interessante é que resolver problemas sob essa perspectiva envolve desenvolver habilidades como: confiança em lidar com complexidade, persistência em trabalhar com problemas difíceis, tolerância para a ambiguidade e se comunicar e trabalhar com outros para alcançar um objetivo ou solução em comum.

O outro passo consiste em aprender a usá-lo de um jeito criativo e envolvente em sala de aula. Como o nosso curso é bem mão na massa, a gente vai se concentrar em uma maneira prática de abordar o pensamento computacional: a programação. Não, não. O pensamento computacional não é sobre aprender a programar. Mas a gente vai usar programação para abordar de um jeito mais prático, certo?

Existe todo um universo paralelo de iniciativas e projetos envolvendo o pensamento computacional no mundo inteiro. No Brasil, tem gente fazendo trabalhos caprichosos com crianças, adolescentes e adultos nas mais diferentes áreas de ensino. Logicamente, que eu vou te mostrar o caminho das pedras para que possas trocar figurinhas com outras pessoas. Mas, o mapa completo tu só vai encontrar no dia 03/06. 😉 Ficou, muito, muito curioso? Eu, sendo tu, não perdia o nosso curso, hein?

No nosso próximo post, a gente vai conversar um pouco mais sobre porquê a gente acha importante aprender sobre Ciência da Computação mesmo se você não for um cientista da computação.

[1] Ralph Morelli e outros autores. 2010. Can Android App Inventor Bring Computational Thinking to K-12?
Disponível em: <http://hfoss.org/uploads/docs/appinventor_manuscript.pdf>
[2] Jeannette Wing. 2006. Computational Thinking.
Disponível em: <https://www.cs.cmu.edu/~15110-s13/Wing06-ct.pdf>
Playtime Prof-Lab

Prof-Lab ensina passos para criar um game de sucesso

Neste sábado o Prof-Lab, programa de formações criativas para professores, avança em sua agenda de cursos convidando a comunidade para aprender sobre Game Design Thinking. A experiência de aprendizagem será guiada pelo formador Giordano Ribeiro e acontece no dia 20 de maio, das 8h30 às 12h30, na unidade da ABA Global Education de Boa Viagem, no Recife.

O Design Thinking é a metodologia que revela a forma como um designer de projetos pensa. Inspirado nesse conceito o Game Design Thinking é a metodologia que vai apresentar especificamente a forma com pensa um designer de jogos. Antes de desenvolver um jogo é necessário saber mais do que programação, ilustração ou animação. A concepção de um jogo de sucesso requer planejamento, criatividade e mais algumas habilidades para as quais é preciso estar atento antes de mergulhar no universo do desenvolvimento. Orientar futuros criadores sobre as estratégias de planejamento de um jogo é o que vai nortear a experiência Game Design Thinking em mais um encontro do Prof-Lab.

Tática, ludicidade e outros elementos presentes no processo de criação de um jogo serão apresentados de forma didática pelo educador Giordano Cabral, professor do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco e profundo conhecedor das estratégias de planejamento para a criação de jogos. Para desenvolver práticas inovadoras no ensino de música, Giordano mergulhou no universo dos jogos produzindo softwares e games voltados para a aprendizagem de música como a premiada Turma do Som.

Na formação os cursistas serão desafiados a criar um jogo com materiais simples como tabuleiros, fichas, bolas, papel e caneta. Estimulando a criatividade e promovendo a reflexão, os criadores viverão na prática os principais erros e acertos do processo. “Um jogo de sucesso é sempre divertido para quem joga. E esse objetivo pode ser alcançado de forma simples com o que se tem à mão. A ideia do Prof-Lab é ajudar a desconstruir a mentalidade de que um jogo para fins educativos precisa seguir o formato de perguntas e respostas. Às vezes é preciso quebrar um pouco esse pensamento porque talvez isso não seja assim tão divertido”, afirma Giordano.

Game Design Thinking

Para participar do Prof-Lab não existem pré-requisitos, além da vontade de aprender e inovar. Apesar do diálogo com a educação as formações também recebem profissionais de diferentes áreas de atuação, o que tem enriquecido as discussões e as produções. No Prof-Lab são apresentados conceitos de forma simples e objetiva, com atividades planejadas para que todos possam dar os primeiros passos no tema proposto.A iniciativa já formou mais de 500 docentes de diferentes cidades e áreas de atuação em quatro edições realizadas na ABA Global Education e também na edição especial para educadores da rede SENAC que passou por Recife, Paulista, Caruaru e Petrolina.​

As inscrições para a formação Game Design Thinking podem ser feitas até o dia 19 de maio através do link: http://bit.ly/proflabgdt. A inscrição antecipada pode ser realizada pelo valor de R$ 180. Há desconto de 50% para professores das redes estaduais e municipais, além das opções de parcelamento e condições especiais para inscrições em grupo e para ex-alunos do programa.